Wednesday, December 28, 2005

Diálogos Quotidianos

- Tens que decidir o que queres fazer...
- Estou com algumas dificuldades em tomar decisões neste momento...
- Há decisões que nunca são fáceis...
- A minha mãe tem um cancro e eu quero estar ao pé dela.. ao mesmo tempo sinto que preciso de sair daqui.

7 comments:

Sextosentido said...

É muito triste e depressivo este diálogo... :(

Dirim said...

Pois é, mas é verdadeiro...

Sextosentido said...

oh... lamento... recebe um sincero abraço de amizade de apoio e carinho.

horvallis said...

Ah, Dirim,
Que situação difícil ! A minha mãe teve um há três anos. Ela saiu-se bem (pelo momento), mas o peso foi e continua pesadíssimo. Acho que há nada pior do que essa doença. Lamento sinceramente.
Beijos.

Dirim said...

Mariana e Horvallis: este diálogo é verdadeiro. Mas não é a minha mãe que sofre de um cancro é a de uma pessoa que eu amo. O que se diz a alguém que se encontra nesta situação é algo que eu desconheço. Pois ao ouvir aquilo, da forma como foi verbalizado - que foi tal e qual como escrevi - fiquei sem saber o que dizer.. o que se diz a alguém que está a passar por esta experiência?

horvallis said...

Dirim,
Acho que se trata de um dos casos em que não se pode dizer muita coisa, porque se trata de uma experiência difícil, pessoal, e além das palavras.
A única coisa é desejar muita coragem à pessoa, e saber que o peso enorme que ela tem nos ombros vai provavelmente mudar coisas na sua personalidade e no seu comportamento. Você pode ajudar aceitando essas mudanças. Durante esse período dificílimo, perdemos o controle da nossa vida. Para dar um exemplo concreto, engordei 5 quilos em três meses e ficou impossível controlar o peso durante quase dois anos. Não conseguia fazer esse esforço. Esse peso toma toda a nossa energia, e fica muito pouco para o resto. E, como disse, a minha mãe saiu-se bem. Não sei como a gente reage quando a coisa fica pior, e que os golpes se repetem.
Beijos.

Dirim said...

Fiquei mesmo sem palavras. Fico sempre assim...sem saber o que dizer.. foi terrível ouvi-la dizer aquilo, quando não a via há tanto tempo. Foi terrível senti-la totalmente perdida e no entanto, a fazer um esforço tremendo para se manter lúcida e para fazer o que considera certo.