Sunday, May 28, 2006

Livro de Versos

Começo a conhecer-me. Não existo. Sou o intervalo entre o que desejo ser e o que os outros me fizeram, Ou metade desse intervalo, porque também há vida... Sou isso, enfim... Apague a luz, feche a porta e deixe de ter barulhos de chinelos no corredor. Fique eu no quarto só com o grande sossego de mim mesmo. É um universo barato. Álvaro de Campos

3 comments:

jose said...

não há nada melhor que o meu campinhos, que está agora na minha mesa de cabeceira, com cinquenta coisas por cima dele e outras 50 por baixo.
tenho mesmo que dar volta a este quarto.

Lueji said...

Parece que ele conhecia tudo e todos tão bem. E é ainda mais bonita a forma como ele consegue pôr tudo isto em palavras.

Ginko said...

ou (quem sabe) a dificuldade de reconhecer-se como individuo...(?)