Friday, November 18, 2005

Olhares

"O olhar do homem foi já muitas vezes descrito. Pousa friamente sobre a mulher, ao que parece, como se a medisse, a pesasse, a avaliasse, a escolhesse, por outras palavras: como se a transformasse em coisa. O que nem sempre se sabe é que a mulher não fica desarmada por esse olhar. Se é transformada em coisa, ela observa, pois, o homem com o olhar de uma coisa. É como se o martelo tivesse de repente olhos e observasse fixamente o ferreiro que se serve dele para espetar um prego. O ferreiro vê o olhar maldoso do martelo, perde a segurança e dá uma martelada no dedo polegar. (...) O poder do olhar transforma o martelo em ser vivo, mas o honrado ferreiro deve sustentar o olhar insolente e, com mão firme, transformá-lo de novo em coisa. Diz-se que a mulher vive assim um movimento cósmico para o alto e depois para baixo: o impulso da coisa transformada em criatura e a queda da criatura transformada em coisa.”"
Milan Kundera, O Livro do Riso e do Esquecimento Imagem de Magritte

2 comments:

rps said...

E quando o olhar da mulher pousa friamente sobre o homem, como se o medisse, o pesasse, o avaliasse, o escolhesse, por outras palavras: como se o transformasse em coisa?

Woman Once a Bird said...

Caro RPS:
Certamente Kundera responderá à pergunta.
Tente no blog dele...