Wednesday, November 02, 2005

Obituários

Quando da morte de Álvaro Cunhal, chocou-me uma entrevista na Sic Notícias dada por Mário Soares. Chocou-me que contasse historietas para «provar» que ele (Álvaro) era um radical; lembro-me que Soares contou o episódio de uma visita da turma da filha do Álvaro Cunhal à Assembleia. Quando descobriram que a menina fazia parte da turma perguntaram ao pai porque não havia avisado, porque a turma teria sido recebida de forma diferente. Ao que o pai respondeu que não queria tratamento diferente para a filha. 
Soares contou-a para provar que falava de um homem extremamente duro... e fico perplexa com o facto de que aos 80 e tal anos não perceba que essa deve ser a atitude de quem proclama os valores democráticos. Álvaro não pediu pela filha por causa da visita de estudo... já Soares, assumidamente presidenciável, pediu ao povo pelo seu filho. Quem contará esta história como seu obituário?

1 comment:

Aristóteles said...

Muito bem visto! É elucidativo quanto à têmpera de um e outro.