Monday, November 06, 2006

Lina, este é o teu nome

A tua pele morena combina com o sorriso ingénuo. Daqueles de quem sempre acreditou. Os teus cabelos negros contrastam - deixa-me ainda lembrar-te no presente - com a cor das paredes onde te conheci. O teu deus nunca foi o mesmo que o meu. Nem precisava. deus algum se intromete nas atribulações domésticas de adolescentes. A permuta de vivências não carece de selo divino. Episódios avulso surgem em turbilhão na minha mente. As pilhas a carregar no calor de um fogão branco perante os olhares perplexos, os míscaros que alimentavam um mundo de paladares. As questões ridículas naquele impresso de folhas intermináveis, com as perguntas mais obscenas, que avaliavam o pedido de auxílio. Deixa-me ser egoísta - por ti, que nunca o foste - e lembrar-me somente de ti. Esquecer o resto. Acreditar no que ouço alguém dizer: "ela sentia-se realizada". Sempre te conheci assim. A dar. A ceder tudo. até a vida. Bondade é o teu nome.

3 comments:

Woman Once a Bird said...

:(

Fidélio said...

Infelizmente passou-me ao lado. Mas que gostei... lá isso gostei. Adorei.
Bjs.

nefertiti said...

lamento a perda... abraço