Sunday, April 23, 2006

Sobreviver

Levou a mão à boca - como quando passa por um animal morto na estrada - para interromper o som que não se podia ouvir. O coração a bater descompassadamente, as lágrimas a saltarem dos olhos à mesma velocidade com que os insultos surgem em catadupa na mente, sem no entanto, concretizarem a verbalização. Há perguntas para as quais não há resposta. Que espécie de ser humano é capaz de fazer uma coisa destas?
Descobri o blog da SOBREVIVER através do Convicto. Esta é a história da Xana:
"A Xana foi retirada ao seu dono depois de este ter tentado enforcá-la numa árvore. Felizmente a corda estava laça e não provocou o estrangulamento, mas estima-se que a cadela tenha permanecido 5 dias amarrada à árvore, sem qualquer assistência. Agora a Xana está com a Sobreviver. Levou um enxerto de pele no pescoço e está ainda em tratamentos. O seu tratamento custou à Sobreviver um total de 444 euros. (inclui tratamento, esterilização e estadia)."

Este é um blog de histórias felizes.. porque alguém as conseguiu contar.

9 comments:

jose said...

curioso que tenhas postado isto quando, ainda há pouco, tive uma valente conversa com uma amiga quase exclusivamente à roda dos animais. bem, era uma conversa sobre pessoas, mas que metia animais. basta dizer que tudo começou quando ela referiu a fátima lopes e as suas roupas de peles. às tantas eu já falava do abandono de animais. casos como este então deixam-me bastante sensibilizado, por isso partilhei no convicto. até por causa dos gastos que a associação teve. eu não posso de forma alguma ajudar, e como quem lê o sempreconvicto é gente mais velha que terá, decerto, melhores possibilidades que eu, decidi que devia dar o link.
bem, acho que fizeste bem em partilhar aqui também. há uns tempos estive a ver uns sites sobre os galgos espanhóis e a forma como os tratam quando deixam de dar rendimento nas corridas. é algo que não entendo. mal por mal que se abandonem os animais, que se deixem à porta de um canil, ou então que se lhes dê um tiro ou lhes cortem as cabeças. mas enforcamentos, é impressionante. e com os galgos, do que li, é do que mais acontece. o animal já não corre o suficiente enforca-se, pronto, está o problema resolvido.
e eu que adoro galgos. enfim.
tive zero comentário nesse post. fiquei um pouco confuso. não percebi se ninguém se tinha manifestado por não se interessar ou por não ter palavras. mas afinal vejo que aquele não foi um "post invisível". até porque não teria lógica sê-lo, era mesmo suposto ser um post não-invisível, um pouco mais interventivo que de costume.
hmmm e não me calo. desde que me deram um cão ando muito sensível a estas questões. curioso.

Dirim said...

Uma vez explicaram-me que era preciso que um artigo de jornal fosse lido por não sei quantas pessoas (não recordo o número exacto, mas seriam mais de mil) para que alguém enviasse uma carta para o jornal... claro que desconheço a fonte e em que metodologia se basearam para chegarem a esta conclusão.. no entanto, acredita que muitas pessoas lêem o que escreves, apesar de haver um número (mais ou menos) reduzido de comentários.
Quanto ao assunto em si... por acaso vivo com um gato, e outras bloggers que aqui escrevem também partilham as suas vidas com animais de quatro patas... sou sensível a estas questões pela simples razão de ser humana. Por isso, questiono-me que espécie de ser humano consegue fazer uma coisa destas. Todos os dias há descobertas relativamente aos hábitos e formas de vida dos animais. Não se pode afirmar que eles não sentem, que não pensam ou que não isto ou que aquilo.. porque, pura e simplesmente, todos os dias se descobrem coisas novas. Infelizmente, todos os dias confirmo que, de facto, há seres humanos que não pensam e que não sentem...

jose said...

é verdade. eu sei que devem ter lido. tenho diariamente mais ou menos o mesmo número de visitas. os suspeitos são os do costume, mas não houve manifestações naquele post e deixou-me cá a pensar. eu achei a estória muito triste, essa da xana. mas ponho-me aqui a pensar e eu também não a comentei no post. se a tivesse comentado possivelmente teriam havido comentários. como me limitei a divulgar ninguém comentou, mas provavelmente visitaram o site. e assim sendo já me sinto bem. hmm.
olha eu hoje estou com vontade de matar o meu cão, porque adormeci com ele a uivar e acordei com ele a uivar, e a minha mãe igualmente. foi a primeira vez que aconteceu e espero mesmo ter sido a última porque estou, como diz o povo, em ponto de rebuçado. o_O
Se voltar a fazer isto enforco-o!!!!
lol não enforco nada. coitadinho do bobico.
também acho uma tristeza. enfim, nem consigo dizer nada de inteligente. dormi seis horas. a culpa é do bobico. aiai.

Ginko said...

bobico é o nome do teu cão? ou é o termo carinhoso como te referes a ele? sendo o nome dele devería começar por maiuscula... os cães que tive sempre tiveram nome próprio e com maiuscula. bom, mas ao que vinha... é lamentavel considerar que os animais não sentem.
Todos os seres vivos reaccionam a determinadas condições sejam elas quais forem. Sendo assim poderá dizer-se que os animais não sentem? Quem tem ou teve um amigo de quatro patas conhece os seus comportamentos, e sabe distinguir diferentes manifestações perfeitamente, dependendo do estimulo dado. Ainda que tenham uma forma diferente de manifestar-se não significa que sejamos o único ser vivo no planeta Terra com um mecanismo inteligente/pensante. O que nos falta é capacidade para respeitar formas diferentes de o fazer. E sempre que está ao alcance do Homem explora-as para seu prazer. É de lamentar a ignorância do Homem.

jose said...

bobico é, de facto, o nome do meu cão. eu não ligo nenhuma a maiúsculas e minúsculas. fale-se na fita-cola, no josé, em deus, no bobico ou no livro. ou seja, escrevo bobico com minúscula da mesma forma com que escrevo o meu nome quase sempre com minúscula. o meu cão parece-me ter sido muito mal tratado antes de vir cá para casa, pelo que penso que ele não se importa nada que o trate com minúsculas, o importante é cuidar dele como deve ser. coisa pela qual me tenho esforçado, mesmo não tendo a mínima experiência com cães nem gostando particularmente de animais (gosto, apenas não os adoro. prefiro pessoas).
concordo com o teu comentário.

Nefertiti said...

essas pessoas deveriam responder por tais crimes. estamos num país de atrofiados, mente rude e miserável. Que choldrice! (estas notícias é que deveriam abrir os telejornais!!!)

Nefertiti said...

Estou completamente chocada!

Nefertiti said...

Há pessoas que vivem em condições de "sub vivências", se é que podemos chamar de "pessoas"!!

Dirim said...

Nefertiti: acredita.. eu também fiquei em choque.. e acho que jamais conseguirei apagar esta imagem da minha cabeça.